12/08/2017 as 08h38 - Atualizado em 12/08/2017 as 08h38

CHAPECÓ - Chape precisa de 23 pontos para não correr riscos de rebaixamento

Verdão tem que buscar pelo menos sete vitórias e um empate em 19 jogos. A equipe terá nove partidas na Arena Condá e dez longe de Chapecó para tentar não cair



O segundo turno do Campeonato Brasileiro terá início neste fim de semana e algumas equipes já estão com a calculadora na mão, principalmente os que estão na parte debaixo da tabela de classificação, como é o caso da Chapecoense. De acordo com as últimas edições do Brasileirão, 45 pontos é o mínimo que uma equipe precisa para não ser rebaixada à Série B.

Se o Verdão repetir a campanha do turno corre sérios riscos de rebaixamento. Nos 19 primeiros jogos, o Verdão fez 22 pontos e se igualar a mesma campanha, chegará ao máximo de 44 pontos, um a menos que a média necessária. Em toda a história do Brasileirão, na era dos pontos corridos, jamais uma equipe foi rebaixada com 45 pontos.

Exemplo disso é o Brasileirão de 2016 e 2013. Ano passado, o Vitória se escapou da degola com 45 pontos, na 16ª colocação. O rebaixado foi o Internacional, que somou 43, em 17º. Mais apertado ainda foi em 2013. Naquele ano, o Flamengo se escapou ao marcar exatamente 45 pontos, e quem caiu foi a Portuguesa, que fez um ponto a menos que os cariocas. O Vasco também foi rebaixado com 44 pontos.

Desde que subiu para a primeira divisão, a pontuação mais baixa que a Chape fez foi em 2014, exatamente na primeira vez que voltou a disputar a elite. Naquele ano, a equipe rebaixada com mais pontos foi o Vitória, com 38. Em 2015, o clube conquistou 47 pontos, e ficou na 14ª posição. O Figueirense, com 43 pontos, foi a equipe que se salvou com a menor pontuação.

A melhor campanha da Chapecoense na Série A foi o histórico ano de 2016. Além de conquistar o título da Copa Sul-Americana, em decisão do Atlético Nacional, o Verdão do Oeste conquistou 52 pontos, oito a mais que os 45. Diferente dos anos anteriores, a Chape jogou 37 partidas no Brasileirão ano passado. Em decorrência do acidente, na última rodada não houve jogo entre Chapecoense x Atlético-MG.

Para chegar a marca dos 45 pontos e não correr risco de rebaixamento, no segundo turno a Chapecoense precisa marcar 23 pontos, sete vitórias e um empate em 19 jogos. A equipe terá mais nove jogos na Arena Condá e dez longe de Chapecó para alcançar a pontuação mínima e não correr risco de queda.

De acordo com o zagueiro Fabrício Bruno, mesmo longe do Brasil, o pensamento maior é no returno do Brasileirão. “Já teremos uma decisão contra o Palmeiras. O nosso pensamento maior é o Campeonato Brasileiro para se manter na Série A neste ano difícil, mas temos o grupo, que está bastante unido em busca de resultados melhores para sair desta situação o mais rápido possível e sair do rebaixamento o quanto antes”.

O returno inicia neste fim de semana. No entanto, a Chape joga somente no dia 20, contra o Palmeiras, em São Paulo. No dia 23, volta a jogar diante o seu torcedor, contra o líder Corinthians, às 19h30, na Arena Condá.
VOZ DO OESTE


Públicado por: Roberto Lorenzon